Na manhã de quinta-feira (22/06) o prefeito Rômulo Rippa assinou o termo de parceria com o Sebrae-SP para a implantação no município do Programa de Educação Empreendedora, que procura apresentar novas práticas de aprendizagem, considerando a autonomia do aluno para aprender e o desenvolvimento de atributos e atitudes necessários para a gerência da própria vida pessoal, profissional e social.

Também presentes no ato da assinatura o consultor do Sebrae-SP, Antônio Volante Júnior, e as secretárias municipais de Desenvolvimento Econômico, Maria Lucia Baltieri, e Educação, Cláudia Regina Lopes Aguiar, além do assessor técnico da Educação, Gustavo de Freitas.

A Educação Empreendedora incentiva que o aluno busque o autoconhecimento, novas aprendizagens, além do espírito de coletividade.

O principal objetivo do JEPP (Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos) é a disseminação da cultura empreendedora para instituições formais de ensino fundamental, a fim de despertar e fortalecer o espírito empreendedor, por meio de incentivo aos comportamentos empreendedores, ressignificando atitudes, possibilitando uma nova consciência de trabalho na comunidade escolar e incentivando aos educandos a busca da inserção no mercado de trabalho com uma postura empreendedora ou a criação de negócios próprios.

Dessa forma, a educação deve atuar como transformadora deste aluno e incentivá-lo à quebra de paradigmas e ao desenvolvimento das habilidades e dos comportamentos empreendedores.

Assim sendo, o ambiente da aprendizagem deve propiciar que o aluno, por meio de atividades e brincadeiras, assuma riscos calculados, tome decisões e perceba ao seu redor oportunidades, mesmo em situações inovadoras.

O perfil do professor da educação empreendedora deve ser o de mediador de descobertas do grupo.

Para tanto, sua prática necessita interagir com as diferentes formas de aprendizagem, contribuir para um ambiente inovador, respeitar os estilos individuais e do grupo, acolher a realidade e o interesse da região, estimular a autonomia, a argumentação e a criação, propiciando que todos alcancem os objetivos.

Ressalta-se que o fazer empreendedor nas instituições escolares é um fazer social e econômico também para a região, estado ou país onde está inserido, uma vez que o ambiente e a prática da aprendizagem ultrapassam naturalmente as paredes escolares envolvendo as pessoas da comunidade em questão.

A metodologia é vivencial e semiaberta e baseia-se em novos paradigmas, de forma a se pensar o empreendedorismo em um sentido amplo, sistêmico e sustentável, valorizando a cultura da cooperação, a inovação, a ecossustentabilidade, a ética e a cidadania.

O tema proposto para cada ano é adequado à faixa etária correspondente, bem como os jogos, dinâmicas grupais, exercícios e pesquisas intra e extraclasse.

Os professores, por meio de capacitação e repasse da metodologia, poderão multiplicar junto aos alunos a proposta do curso, conforme cada faixa de idade (6 a 17 anos).

A carga horária é de 88 horas e será assim desenvolvida:

26 a 30 de junho – Fundamentação metodológica e oficinas de primeiro ao nono anos.

3 a 7 de julho – Fundamentação metodológica e oficinas de ensino médio.

Cléber Fabbri – MTb 30.118

Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos

Anúncios