Depois de uma negociação que começou a ser discutida no início deste ano pelo atual Governo Municipal, a Caixa Econômica Federal vai apresentar aos contemplados com o sorteio de lotes no Parque Residencial José Gomes, no ano de 2007, mais uma opção de financiamento da casa própria.

Todos estão sendo convidados para participar de uma reunião na próxima segunda-feira (10/04), às 18 horas, na Casa dos Conselhos Municipais (avenida Engenheiro Nicolau de Vergueiro Forjaz, esquina com a rua Luiz Gama – antiga Cesp), quando serão explicados os detalhes.

Até então a única opção oferecida pela Caixa era por meio do uso do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Agora, também vai ser possível financiar a construção do imóvel pelo programa Minha Casa Minha Vida. Desta forma, algumas características mudam, como o tempo de amortização, valor e tamanho da obra.

Na manhã de quarta-feira (05/04) o prefeito Rômulo Rippa fez uma reunião em seu gabinete para tratar do assunto com o gerente da agência de Porto Ferreira da Caixa Econômica Federal, Nelson Carlos Pereira Silva, o presidente da Câmara Municipal, Miguel Bragioni, o procurador do município, José Roberto Carvalho, o chefe da Seção de Habitação, Rodrigo Louzada, e o assessor de governo Marcos André Pereira Silva.

O Poder Executivo vai encaminhar à Câmara Municipal, também na próxima segunda-feira, um projeto de lei que permite as alterações na forma de contratar o financiamento pelos contemplados. “Fico feliz em anunciar que as negociações com a Caixa avançaram rapidamente e agora todos terão mais uma opção de financiamento, assim que o projeto for aprovado no Legislativo. É muito importante a participação de todos os sorteados na reunião da próxima segunda-feira. O governo municipal está fazendo o máximo para resolver este impasse que já dura 10 anos, contando sempre com o apoio da Caixa e dos nossos vereadores”, declarou Rômulo Rippa.

Entenda o caso

No ano de 2007 foi feita a doação, por meio de sorteio público, de 61 lotes no Parque Residencial José Gomes. Estes terrenos seriam destinados à construção de moradias próprias, via Programa Imóvel na Planta – Associativo – com recurso do FGTS, por meio da Caixa Econômica Federal. Devido a problemas que surgiram posteriormente ao sorteio, nos últimos anos foram realizadas diversas ações com o objetivo de cumprir o que estabelece a legislação e ao mesmo tempo não prejudicar os contemplados.

Cléber Fabbri – MTb 30.118

Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos

Anúncios