Em continuidade ao intenso trabalho de fiscalização à prestação dos serviços de água e esgoto e, principalmente, aos prazos contratuais das metas a serem realizados pela concessionária Odebrecht Ambiental, o superintendente da Agência Reguladora de Serviços Públicos de Porto Ferreira (ARMPF), Élcio Arruda, liderou um trabalho de diligência durante este mês. A iniciativa teve por objetivo acompanhar de perto a evolução das obras dos sistemas de água e esgoto que ocorrem no município. “Nosso trabalho é fiscalizar a prestação dos serviços públicos praticados pela iniciativa privada. Desta maneira, o acompanhamento das atividades será frequente, atrasos não serão mais admitidos”, afirmou Arruda.

O trabalho realizado em 16 de março é o primeiro após a entrega pela Odebrecht Ambiental da atualização do cronograma das metas a serem atingidas em Porto Ferreira. Além do superintendente, também participaram do trabalho os agentes reguladores Luís Henrique Paludetti (chefe da divisão financeira) e Alex Toffoli Bendande (chefe da divisão administrativa), o representante da Prefeitura Municipal, o engenheiro Jefferson Gustavo Ambrósio, o diretor de operações da concessionária, Gustavo José Ferreira van Deursen, e os responsáveis pela área de Engenharia, Alem Felipe da Silva e Angélica Martim.

A equipe de trabalho vistoriou todas as obras que são metas contratuais da concessionária, começando pelos investimentos que estão sendo realizados na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Fazendinha. No local, está sendo instalada uma nova cabine elétrica para atender as demandas futuras da unidade e seguem em construção e ampliação o tanque de aeração, o decantador e a estrutura necessária para descarte e reciclagem do lodo. Obras e melhorias que visam, além de aumentar a capacidade da estação, melhorar a eficiência do tratamento de esgoto em Porto Ferreira.

A vistoria também aconteceu nas obras de travessia da rede de esgoto pela rodovia Anhanguera – um trabalho que será executado por um método não destrutivo para evitar a interrupção do tráfego no local –, na Estação Elevatória de Esgoto da Vila Sybilla, onde será executado um poço para o recalque do esgoto, e nas obras da travessia do sistema de água pela avenida Rudolf Streit.

Dúvidas técnicas, impactos urbanos, tecnologias empregadas, prazos e dificuldades de cada uma das obras foram temas abordados e vistoriados durante o trabalho da Agência Reguladora. Para o superintendente Élcio Arruda a atividade foi importante para o acompanhamento e entendimento quanto às obras. “Somente com este trabalho ‘in loco’ é que conseguimos acompanhar de perto todos os investimentos que estão sendo realizados em Porto Ferreira nos serviços de água e esgoto, tenho também o apoio e a determinação do prefeito Rômulo Rippa, para atuar em prol dos consumidores, ou seja, cobrando por resultados, cumprimento do contrato de concessão e cobranças justas. Para uma primeira avaliação, constatamos que as obras estão avançando dentro do novo cronograma planejado, e do prazo restabelecido para o cumprimento das metas contratuais, mas solicitei ainda mais agilidade na entrega das obras, principalmente no tratamento de esgoto”, declarou.

Cléber Fabbri – MTb 30.118

Assessor de Comunicação

Anúncios