O Departamento de Cultura e Turismo da Prefeitura de Porto Ferreira vai realizar de 10 a 12 de março a III Semana Cultural Orestes Rocha. Para organizar a apresentação e exposição de artistas, foi disponibilizado um formulário no site oficial da Prefeitura para que os interessados em participar preencham os dados.

Todos os campos, obrigatoriamente, devem ser preenchidos para validação da inscrição. Caso haja um número elevado de inscrições nas categorias de pintura, desenho, poesia, artesanato e fotografia, será realizada uma seleção das melhores obras para a exposição. Devido a isso, para que a inscrição seja validada, cada inscrito deverá encaminhar uma foto das obras que serão inscritas.

O formulário pode ser acessado clicando AQUI.

Orestes Rocha

A Semana Cultural Orestes Rocha presta homenagem ao pesquisador, radialista e apresentador que muitos trabalhos desenvolveu em prol da cultura ferreirense. O evento foi criada por lei em 2007, mas não chegou a ser realizado todos os anos, sendo retomado em 2015.

Muito antes de ser criado o termo “multimídia”, Orestes Rocha já circulava por diversas vertentes da comunicação e da cultura. Ainda muito jovem, se aventurava pela poesia e pelo teatro. Depois, trabalhou como locutor do antigo serviço de alto-falantes da praça Cornélio Procópio. Naturalmente, seria o primeiro radialista da cidade quando da fundação da Rádio Primavera, em 1962. O primeiro e também a voz mais bonita que já passou pelo rádio ferreirense, segundo muitos ouvintes.

O vozeirão também era a arma do mestre de cerimônias e apresentador de eventos Orestes Rocha. Ao microfone, narrou e apresentou praticamente tudo o que de importante aconteceu em Porto Ferreira. Mas não só aqui. Chegou a receber 15 troféus nos 15 anos em que apresentou os concursos e desfiles de Bandas e Fanfarras, do Festival Zequinha de Abreu, na cidade de Santa Rita do Passa Quatro, considerado o maior evento musical do país.

O Orestes Rocha agitador cultural foi responsável por diversas iniciativas. Realizou o primeiro Carnaval do Clube de Campo das Figueiras, em 1976. Organizou duas grandes exposições fotográficas na cidade. Participou de diversos festivais de música. Levantou a retrospectiva histórica do Porto Ferreira Futebol Clube. Montou o riquíssimo museu da Cerâmica Porto Ferreira. Fundou o Clube do Chorão, que por muitos anos reuniu mensalmente antigos ferreirenses e apreciadores da boa música.

Sua habilidade com as letras também era notável. Venceu o concurso regional de poesia, e outro de pequenos contos sertanejos, da Secretaria de Estado de Cultura.

Era um pesquisador compulsivo da história ferreirense. Por muitos anos, escreveu no jornal A Semana uma coluna baseada em suas pesquisas históricas. Muitos desses textos serviram de base para a Revista do Centenário de Porto Ferreira, que Orestes editou em 1996. Atuava também como uma espécie de consultor da história ferreirense.

Em setembro de 2006, Orestes Rocha emprestou seu nome a um Museu da Imagem e do Som, denominado Instituto Cultural Orestes Rocha, entidade fundada pelo hoje vereador e presidente da Câmara, Miguel Bragioni.

Veio a falecer pouco tempo depois, deixando muita saudade em amigos e familiares. Em 2007, uma lei municipal foi criada instituindo a Semana Cultural Orestes Rocha.

Cléber Fabbri – MTb 30.118

Assessor de Comunicação

Anúncios