Dori Américo é recebido na Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado
Dori Américo é recebido na Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado

O diretor de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, Dori Américo, na terça-feira (23/06) voltou a manter contato com a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo, buscando viabilizar o projeto que busca diagnóstico da economia local e criação do Núcleo de Inteligência Competitiva, o NIC; ações públicas em parceria com o Sindicer (Sindicato das Indústrias Cerâmicas).

Desde 2013 que o titular da pasta em Porto Ferreira está buscando a realização desse projeto que credenciará o município ferreirense a obter e gerir dados importantes para redirecionar as ações empresariais para manutenção e geração de empregos, renda e fomento à economia, com ênfase na implantação de um moderno sistema tecnológico que ofereça as estatísticas e as atualizações do mercado de decoração de interiores, especialmente ceramista, para tomada de decisões estratégicas pelos empreendedores.

Reconhecido pelos Governos Federal e Estadual como Arranjo Produtivo Local (APL), o município ferreirense se credenciou a obter R$ 300 mil para o citado projeto socioeconômico, mas até o presente momento, diante dos cortes nos gastos do Governo Estadual, esse recurso ainda não foi liberado.

Dori Américo conversou na Secretaria com o chefe de Gabinete, Mauricio Juvenal, e recebeu dos gestores a resposta de que pProjeto de Porto Ferreira já percorreu todas as esferas administrativas daquela Secretaria e, assim, a liberação está prevista para o segundo semestre deste ano.

“O serviço público demanda persistência nas principais bandeiras, nos focos que marcam as prioridades das nossas atividades. Neste caso, esse diagnóstico econômico, aliado à implantação do Núcleo de Inteligência Competitiva, deve sempre ser acompanhado de perto, para que, mesmo em meio as dificuldades da economia brasileira, consigamos liberar tais recursos. Assim, mantemos a Administração Renata Braga sempre ao lado dos nossos empresários, auxiliando institucionalmente esse setor produtivo de decoração que fomenta cargos no mercado de trabalho, renda e, com isso, assegura desenvolvimento e crescimento, mesmo nesse cenário tétrico de retração mundial”, concluiu o diretor.

Cléber Fabbri   | MTb 30.118   |   Assessoria de Comunicação