O canto coral proporciona a convivência entre os integrantes e traz muitos benefícios para a saúde. Através dos exercícios vocais, muitas pessoas conseguem diminuir ou até mesmo abandonar o uso do fumo e do álcool. Atualmente, empresas públicas e privadas têm considerado esses e outros pontos positivos do canto coral, incentivando a formação de grandes grupos. No coral, todo o trabalho é comunitário. Não existem estrelas ou cargos, e sim, vozes que se complementam. Basta fazer uma verificação vocal e participar da rotina de ensaios.

 

BENEFÍCIOS DO CANTO CORAL: UM CANTO APAIXONANTE

Nos corais, não existem destaques individuais. Todo o trabalho é feito em conjunto. Ao ingressar em um grupo, o primeiro passo é fazer a verificação vocal. Entre as mulheres, as classificações básicas são Sopranos, para as vozes agudas, e Contraltos, para as vozes graves. Entre os homens, as classificações são Tenores, para as vozes agudas, e Baixos, para as vozes graves. De acordo com o timbre de cada pessoa, há ainda as classificações intermediárias, que são a Mezzo-soprano, para as vozes femininas, e os Barítonos, para as vozes masculinas. “O horizonte do canto coral é vasto. A partir da classificação de cada integrante, há grupos especializados somente no estilo renascentista francês, somente em clássico/lírico ou somente em MPB. O que importa é o aprendizado musical, o canto coral proporciona diversos benefícios para a saúde. A educação vocal ensina principalmente a controlar a respiração, o que é essencial para manter uma boa circulação sangüínea e, assim, aumentar a resistência física. Um resultado importante do trabalho respiratório é o abandono parcial ou total do fumo e do álcool pelos integrantes, já que ambos prejudicam os pulmões e os reflexos auditivos e visuais. A coordenação correta das pregas vocais permite ainda manter saudáveis a laringe e a faringe. O coral é sinônimo de cooperação: todos se ajudam. É um trabalho comunitário que traz benefícios para os integrantes, para as empresas que os organizam e para a saúde de cada um.

O CANTO CORAL POSSIBILITA:

1-    O bem-estar e ação de cantar sem dificuldades e com prazer;

2-    A otimização da voz para o dia-a-dia, tendo a eficiência vocal como meta para professores e pessoas que trabalham com a voz;

3-    A otimização da energia corporal para o canto, sem fontes de contração compulsiva que leva a uma liberdade corporal e vocal na voz falada e cantada;

4-    A energia vocal depende também da energia psíquica e de seu estado diário por isso, o canto equilibra essa energia;

A REGENTE

JULIANA COLI

Possui estágio pós-doutoral pela Università di Musicologia de Cremona (Itália) com bolsa da Capes e estágio Doutoral em Sociologia da Música (bolsa – Capes) pela Università degli studi di Trento (Itália). Graduada em Música pela Universidade Estadual de Campinas (2004). Doutora em Ciências Sociais com pesquisa em Sociologia da Música pela Universidade Estadual de Campinas (2003). Tem experiência como docente nas áreas de música em canto lírico e canto coral junto ao Conservatório de Tatuí, tendo atuado também em diversos projetos no âmbito da educação musical no Brasil e na Itália. Suas pesquisas enfatizam os campos da sociologia da música, profissão do cantor lírico, música e sociedade e música e formação. Autora do livro: Vissi D´arte: por amor a uma profissão, Editora Annablume, 2006. É membro do grupo de pesquisa em Musicologia Caravelas do Cesem (Universidade Nova Lisboa)- Portugal e do grupo de pesquisa MusiMid (ECA/USP).

Matriculas e maiores informações na Casa da Cultura “Elias dos Santos”, Av. Eng. Nicolau de Vergueiro Forjaz, 330 – Centro – Tel: 3585-5700 / 3585-4230

Anúncios