Creas (Centro de Referencia Especializado de Assistência Social) é um dos principais núcleos de atendimento

Prefeito Maurício Rasi e assistentes sociais no Creas

Os programas que oferecem inclusão social a jovens e adolescentes em Porto Ferreira têm apresentado resultados satisfatórios. Graças à somatória de esforços, que vai desde a busca dos recursos junto às esferas estadual e federal, feita de forma incessante pelo prefeito Maurício Rasi, até a dedicação, empenho e forma capaz e eficaz com que o trabalho das equipes é desenvolvido, mostram claramente esta realidade.

 

Conheça os programas

O Centro da Juventude, localizado à avenida Professor Henrique da Motta Fonseca Júnior, 1.881, na Vila Maria, atende em média 150 adolescentes na faixa etária de 12 a 17 anos, muitos em situação de risco ou em vulnerabilidade social. São desenvolvidas atividades de esporte, lazer, informática, cabeleireiro, manicure, além de outros trabalhos manuais.  O Centro ainda atende parte da demanda do Programa Estadual Ação Jovem, de transferência de renda, para uma faixa etária de 15 a 24 anos, também em vulnerabilidade social, que recebem um valor mensal de R$ 100. A cota para Porto Ferreira é de 50 jovens, sendo que todas as vagas estão preenchidas.

Outro programa, este Federal, o Pró Jovem Adolescente, destina-se à faixa etária de 15 a 17 anos, com participação teórica e prática visando a inserção no mercado de trabalho. Atende atualmente à dois coletivos de 25 participantes cada. Para tanto, a família do jovem deve estar inserida no Programa Bolsa Família, sendo que o adolescente recebe R$ 33, e este valor está incluso no Programa Bolsa Família.

O Programa de Atendimento às Medidas Sócio-Educativas em Meio Aberto, para adolescentes que cometeram atos infracionais, encaminhados pelo Poder Judiciário, está inserido no Creas (Centro de Referencia Especializado de Assistência Social). Liberdade assistida e prestação de serviços à comunidade atende cerca de 20 jovens, os quais, juntamente com suas famílias, recebem orientações semanalmente para uma possível reinserção ao convívio social. Os trabalhos são acompanhados por psicólogos.

O Creas, responsável pelo acompanhamento e monitoramento de todos estes programas, é um serviço especializado e contínuo. Compõem as equipes de atendimento as assistentes sociais Eliana Cristina Badin Stort, Valdenice Zuffo, Ana Alessandra Borges Reis, as orientadoras Eliana Pelegrini, Milene Arantes Varisi e Claudete Oliveira e a estagiária Tamires Santana. Os atendimentos são feitos à avenida Dr. Ademar de Barros, 1.005, na Vila Maria. O telefone é 3585 7184.

É importante destacar que o Creas ainda responde por programas e ações sociais voltados para outros públicos, como assistência a pessoas vítimas de violência física e psicológica; violência sexual; tráfico de pessoas; situação de rua, mendicância e abandono; trabalho infantil; discriminação sexual e descumprimento do Bolsa Família.

 

Anúncios