“Resultado pode ser credenciado à confiança readquirida no Município”, afirma prefeito Maurício Rasi

O número de empregos formais no município de Porto Ferreira cresceu sensivelmente no período de janeiro a setembro de 2010, segundo relatório do Ministério do Trabalho.  O número da variação absoluta (admissões menos desligamentos) chegou a 1.122, valor que se aproxima de todo o período entre os anos 2000 e 2004, quando este número foi de 1.776.

No levantamento feito de janeiro de 2005 a setembro de 2010, a discrepância entre a primeira e a segunda metade da década fica ainda maior. Nos últimos cinco anos a variação positiva foi de 3.266 empregos. Um aumento real de 1.490 vagas ante o período de 2000 a 2004.

O reaquecimento da economia da cidade, com novos atrativos no parque fabril, que hoje não estão concentrados somente na cerâmica artística, mas também na cerâmica utilitária, como louças de mesa, mais as artes e decorações em ferro, madeira, eletricidade, vime, e ainda um segmento artesanal forte proporcionou o aumento nas vendas e, consequentemente, a geração de novos empregos.

Investimentos públicos nas áreas de educação, social, saúde, infraestrutura urbana, além de incentivos como o Proindefe (Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Ferreirense), gerido pelo Departamento Municipal de Desenvolvimento Urbano, Social e Econômico, atraíram o interesse de empresas fortes no setor de comércio, indústria e serviços. Entre os exemplos estão as lojas de redes. Somente este ano foram quatro deste tipo (Montreal, Cybelar, Seller e Viviani Veículos) que se instalaram no município. Os investimentos e incentivos foram fatores fundamentais para que houvesse este aumento real no número de empregos formais no município.

Estas empresas citadas ainda não fazem parte deste índice de aumento no número de empregos formais no município. Com o início das atividades, quase 100 novos empregos deverão ser gerados. “Estive presente na inauguração de uma destas lojas e vi que realmente há uma confiança no potencial da cidade, que ainda agrega consumidores da região”, disse o prefeito Maurício Rasi.

Com a regularização do Centro Empresarial Ferreirense, no antigo aeroporto, a expectativa é ainda mais positiva, uma vez que há uma previsão de geração de pelo menos 300 empregos diretos quando o projeto estiver concluído. De início a Administração Municipal recebeu 11 pedidos de empresas que pretendem se instalar no local. As solicitações passam por processo de aprovação de cessão de área, para instalação e ampliação de novas empresas.

“É um resultado positivo e que temos que comemorar, sim. O Brasil deu mostras gigantescas de que tem hoje todas as condições de sobreviver a uma crise internacional, como pudemos comprovar recentemente. E aqui em Porto Ferreira estamos acompanhando esta crescente e oferecendo condições aos nossos cidadãos. Quando o Marival (José Aboiata), chefe da Seção de Indústria e Comércio, me trouxe esta notícia, fiquei extremante feliz”, comenta o prefeito Maurício Rasi.

Outro fator que poderá apresentar resultado positivo em breve, no que se refere à mão-de-obra qualificada, é o ensino profissionalizante implantado pelo atual governo municipal. “Além das parcerias que temos com o Senai, Senac, iniciativa privada, o próprio governo do Estado, com a Etec, que possibilitou a instalação de cursos técnicos, faço questão de frisar a participação dos vereadores, por meio da Câmara Municipal. O Legislativo tem um papel fundamental neste processo. A aprovação de projetos que fomentam o crescimento da cidade demonstra isto claramente”, cita o prefeito.

Numa visão otimista, considerando a empregabilidade da construção civil, este número de pessoas economicamente ativas pode ainda ter um acréscimo real de pelo menos 35%, levando-se em consideração a rotatividade no setor, assim como os safristas.

 

Anúncios