Ao todo 21 empresas aguardam conclusão das instalações

Prefeito, presidente da Câmara e assessores visitam área do Distrito Empresarial

Localizado na região do antigo aeroporto, o Distrito Empresarial, que será um local específico para abrigar empresas de Porto Ferreira, inicia uma nova etapa.

Após cumprir exigências, entre elas as de órgãos ambientais – como o DEPRN (Departamento Estadual de Proteção aos Recursos Naturais) e a Polícia Ambiental, que havia embargado o projeto pelo não cumprimento às leis ambientais na Administração anterior (1997/2004), quando houve desmatamento e retirada de terra de forma ilegal – o projeto agora ganha impulso, seguindo normas técnicas, incluindo as da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

Incentivado pela lei 2.570, de maio de 2007, que criou o Proindefe (Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Econômico Ferreirense), o Distrito Empresarial deverá gerar nos próximos anos algo em torno de 400 empregos diretos, com a instalação de pelo menos 21 empresas dos setores de serviço, montagem e logística.

As empresas pré-selecionadas para se instalarem no local passaram por vários critérios estabelecidos na lei do Proindefe, as quais foram avaliadas pela Comissão Municipal de Empregos, além de outra Comissão Especial composta por membros do Executivo Municipal, quesitos como, não emitir resíduos poluentes, geração de empregos (30, no mínimo), não edificar em mais de 70% da área do lote são alguns destes itens. Quanto ao prazo para instalação das empresas, após o processo de cessão ser aprovado, estas terão 6 meses para iniciarem as obras e 2 anos para conclusão. Descumprido este item, a municipalidade terá o imóvel retomado, sem prejuízo financeiro.

Visita

Na semana passada, o prefeito Maurício Rasi e o presidente da Câmara Municipalm vereador Luiz Antônio de Moraes (PPS), o atual chefe da Seção de Indústria e Comércio, Marival José Aboiata, Dirceu Denardi (Fiscalização Tributária) e Adriano Martins, engenheiro do Departamento de Obras, visitaram o local. Na oportunidade, o prefeito fez questão de destacar o trabalho dos profissionais que atuaram na implementação do projeto. “É um esforço de longa data. Começamos ainda no primeiro mandato o trabalho para liberação da área, na época ainda com o Galvão (José Francisco Galvão Junior), diretor do Departamento de Desenvolvimento Sustentável, com as suas respectivas Seções, Indústria e Comércio (Dirceu Denardi), Meio Ambiente (Sérgio Antonini), quando apresentamos toda a documentação exigida para que obtivéssemos a licença. A Câmara Municipal, hoje aqui representada da pelo seu presidente, o vereador Luiz Antônio de Moraes, assim como os demais Departamentos da Prefeitura tiveram participação ímpar no projeto”, comenta.

O Departamento Municipal de Desenvolvimento Urbano, Social e Econômico, atualmente gerido pelo advogado Rogério Carlino, é quem coordena o projeto, que ainda conta com o Departamento de Obras, responsável pela execução dos serviços de infraestrutura, iniciada após a Prefeitura ter recebido a licença ambiental no final do ano passado. Num primeiro momento, o trabalho consiste em limpeza, terraplanagem e demarcação da área dos lotes, assim como abertura das vias.

Uma parceria com as empresas beneficiadas com a cessão de lotes será proposta pela Prefeitura para execução de infraestrutura.

O Distrito já abriga hoje empresas como Broto Legal, Trieste, Dismarina, Intercolor, Portoespuma, além do Colégio Cooperativo, Faculdade Asser, dentre outras, e em breve receberá o Projeto do Sest/Senat, como já foi divulgado, sendo que algumas destas têm projetos de ampliação, melhorando o nível de geração de empregos.

Para o presidente da Câmara, além da geração de empregos, o projeto apresenta um planejamento perfeito, que possibilita o crescimento e a operacionalização de forma ordenada. “O que vemos aqui é um projeto que apresenta avenidas amplas, que facilitará acessos, movimentação de transporte. Além disso, fico extremamente feliz ao ver o projeto sair do papel. Isso possibilitará o crescimento das empresas e, consequentemente, o desenvolvimento da cidade”, disse. Nas próximas semanas o Executivo deverá enviar à Câmara Municipal o projeto que deverá homologar a cessão de lotes.

Anúncios